Header Ads

Mulher que participou da morte de empresário da Telexfree deixa presídio para cumprir prisão domiciliar


Daiane de Oliveira Dias, que cumpria pena por ter participação no planejamento da morte do empresário Dorian da Silva Santos, um dos pioneiros da Telexfree na Bahia, em julho de 2016, passou a cumprir prisão domiciliar na quarta-feira (3). Ela, que seguia no sistema semiaberto, foi liberada do Presídio de Feira de Santana, cidade a cerca de 100 km de Salvador. A informação é do diretor da unidade prisional, capitão PM Allan Silva.

A liberação de Daiane ocorreu após a Justiça determinar que 320 detentos internos do presídio de Feira, que estavam em regime semiaberto, cumprissem prisão domiciliar. O juiz que concedeu a liminar alegou falta de estrutura do presídio para abrigar os presos do semiaberto.

Confome a direção da unidade prisional, até quarta-feira, 169 mandados de liberação foram entregues pela Justiça. Outros devem chegar nos próximos dias.

De acordo com o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), Daiane, que matinha um relacionamento amoroso com a vítima, confessou ter participado do planejamento da morte do empresário e foi condenada por roubo qualificado, a uma pena de oito anos e oito meses, sendo fixado o regime inicial de execução no semiaberto. O TJ-BA informou, ainda, que a execução da pena foi iniciada em 30 de setembro de 2017.

Apesar da liberação para a pena domiciliar, a Justiça informou que Daiane foi dispensada temporariamente do monitoramento eletrônico, até que tornozeleiras eletrônicas sejam disponibilizadas no âmbito da comarca de Feira de Santana.

Entretanto, Daiane deve comparecer mensalmente ao cartório da cidade, não mudar domicílio para outra comarca sem prévia autorização da Justiça, recolher-se na própria casa ou local de habitação entre às 22h e 6h, nos dias úteis, e não deixá-la aos finais de semana e feriados, exceto mediante prévia autorização da Justiça. Além disso, ela não pode frequentar bares ou locais aonde há comércio ou bebidas alcoólicas, práticas de jogos de azar, prostituição, ou atividades ilícitas, entre outras medidas.

Crime

O corpo de Dorian da Silva Santos foi localizado com as mãos amarradas e com várias marcas de tiros na cabeça, no dia 19 de julho de 2016 em um povoado do distrito de Humildes, em Feira de Santana.

Conforme informou a polícia, na época do crime, o empresário estava com amigos no centro de Feira de Santana, por volta das 15h, quando atendeu a uma ligação e depois "disse que iria sair para resolver algumas coisas". Cerca de 1h30 depois, a polícia foi procurada com a informação de que ele havia sido encontrado morto.

Empresário Dorian da Silva Santos foi um dos pioneiros da Telexfree na Bahia (Foto: Reprodução | Facebook)

Joanderson Menezes Lima e Davi Rios de Oliveira foram presos com o carro da vítima. Eles chegaram a usar o veículo para fazer assaltos em Feira de Santana. Após a prisão, a dupla foi apontada como autora do crime contra Dorian. Em seguida, a polícia chegou até Daiane.

Cerca de 12 dias após o crime, Daiane compareceu à delegacia com um advogado e confessou ter participado do planejamento da morte do empresário. Conforme a polícia, desde os 15 anos de idade, Daiane tinha um relacionamento com Dorian, que era casado.

Além do relacionamento que tinha com o empresário, Daiane começou a namorar com um dos homens envolvidos na morte dele. A polícia informou que Daiane teria dito ao comparsa que o amante era rico e os dois planejaram assaltar a vítima.

Ainda segundo apontaram as investigações, Daiane e os dois comparsas teriam planejado o crime um dia antes de o empresário ser morto. No dia do homicídio, a mulher ligou para a vítima e marcou um encontro em um local onde funcionava o antigo posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), nas proximidades do campus da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs).

O empresário e amante foram para uma casa alugada perto do local do encontro. Quando os dois deixavam o local, dois homens chegaram e anunciaram um assalto. Conforme a polícia, a vítima foi rendida e levada pelos suspeitos ao local do crime, no povoado do Caetano, no distrito de Humildes.

Segundo a polícia, Daiane chegou a ser amarrada pelos suspeitos junto com o empresário. Mas Dorian teria desconfiado de que se tratava de uma armação e foi morto.

Fonte: G1 Bahia

Comentários:

ATENÇÃO: Cada comentário representa a opinião pessoal do leitor. O Jacobina Notícias não se responsabiliza pelas opiniões expostas aqui. No entanto, comentários ofensivos ou com xingamentos podem ser removidos.
Tecnologia do Blogger.