Header Ads

Torcedor desabafa antes de 'jogo da vida' do Jacobina: "É orgulho para nossa cidade"


O Jacobina Esporte Clube entra em campo às 16h deste domingo (17), no estádio José Rocha, pela 9ª e última rodada da fase de grupos do Campeonato Baiano 2019. E tem pela frente uma missão dificílima: vencer o Vitória da Conquista e torcer pela derrota do Jequié diante do Bahia, para conseguir escapar do rebaixamento.

Torcedor fiel do Jacobina, Fernando Franklin descreveu o clube como "felicidade e orgulho para nossa cidade". Ele tem acompanhado o time por várias cidades da Bahia, basta que o Jegue da Chapada jogue fora de seu domínio. Mesmo com toda a preocupação com o risco iminente de descensão, Franklin não joga a toalha e acredita que o Jacobina sairá vencedor após o apito final. 

"Esse jogo é o mais importante do Jacobina, junto com a partida que deu acesso à primeira divisão. Porque, se a gente não tivesse subido naquele ano [em 2014], teria deixado de participar de vários campeonatos, da Série D do Campeonato Brasileiro, deixado de jogar aqui em Jacobina com times da Série A, viajado pra fora, feito amizades, tudo que a gente vivencia. Teríamos deixado de gerar emprego em nossa cidade, renda, visibilidade que o futebol proporciona. O mais importante, o que mais tem valor, foi o resgate da nossa autoestima por ter um time entre os melhores da Bahia, sendo que nossa cidade não é tão grande, é pequena comparada com as dos outros times. Isso, para a gente, faz muita diferença, é motivo de um orgulho muito grande. A gente não pode perder isso. Talvez, se a gente cair, ninguém garante que vamos subir de novo, nem que vai ter alguém para apoiar a gente e disputar a Série B", contou emocionado Fernando Franklin ao Jacobina Notícias.


Servidor público federal, Franklin vai além das quatro linhas quando descreve o que vive a cidade em dia de jogo do Jegue da Chapada. "Esse jogo é mais importante que qualquer jogo de final de Copa do Mundo, de Libertadores, qualquer jogo que for. Para mim, é o mais importante da nossa vida. Sem contar como é a alegria quando tem jogo aqui, como as pessoas ficam felizes, sabe? O time significa isso, felicidade e orgulho para nossa cidade", concluiu. 

O Jacobina ocupa a última posição no Baianão, com 5 pontos. Já o Jequié está em penúltimo, com 7 pontos. O cálculo para se livrar do rebaixamento é simples: precisa vencer o Conquista por qualquer placar e torcer para o Bahia bater o Jequié.

'Enquanto há vida, há esperança'

Para se safar da degola, o Jegue da Chapada vai precisar de toda ajuda de sua torcida e entrar em campo com uma postura diferente das últimas partidas. A única opção é a vitória. E mesmo com o desânimo de parte dos torcedores, por conta do revés diante do Atlético dentro de casa, espera-se que o José Rocha esteja lotado e que as energias liberadas das arquibancadas contagiem os jogadores. O clube colocou ingressos à venda por R$ 10.

É hora de respirar fundo, encher os pulmões de ar e usar esse último fôlego para escapar com vida.

Por Robson Guedes / Jacobina Notícias