Header Ads

Protestos no interior da Bahia bloqueiam estradas e paralisam serviços


A sexta-feira também foi marcada por manifestações no no interior da Bahia com diversas mobilizações que bloquearam estradas, principalmente nos municípios do extremo sul.

Na BR-101, os protestos fecharam a rodovia no trecho de Eunápolis, Itabela, Teixeira de Freiras, Mucuri e Itamaraju. Já a BR-116, proximidades da cidade de Arataca, ficou cerca de três horas interditada. Por volta do meio-dia, todos os pontos já estavam liberados e o trânsito voltou a fluir normalmente.

Em Feira de Santana (a 109 km de Salvador), a concentração começou cedo em frente da prefeitura. Os manifestantes seguiram em caminhada pelas ruas centrais até a igreja matriz.  Os ônibus do transporte coletivo urbano funcionaram com cerca de 40% da frota, cumprindo uma determinação judicial.

“Defendemos os direitos do trabalhador. Lutamos contra a reforma da Previdência e outras medidas que prejudicam a classe trabalhadora”, afirmou Elísio Santa Cruz, representante da Frente Brasil Popular.

Na cidade de Vitória da Conquista, a concentração ocorreu na praça Guadalajara. O grupo saiu em caminhada pelas ruas da região do centro da cidade. Participaram do ato, sindicalistas, políticos e estudantes.

Já na região norte, a principal manifestação aconteceu em Juazeiro, onde foi bloqueada a ponte sobre o rio São Francisco, que faz ligação com Petrolina (PE). A adesão foi de bancários, professores, estudantes e sindicalistas de diversas áreas de atuação.

No oeste do estado, foi realizado um protesto na cidade Barreiras, que teve concentração na avenida Clériston Andrade e caminhada até a praça Castro Alves. Servidores públicos do município, do estado e da União protestaram principalmente contra as reformas da Previdência e os bloqueios de recursos para a área da educação.

“Nossa luta é pelos direitos de todos e não pelo privilégio de alguns”, disse o professor da rede privada de ensino em Barreiras, Roberto Costa. Para ele, “a hora de defender nossas causas é agora, porque depois de votadas no Congresso, levaremos anos para reconquistar alguma coisa”.

Na região sul, as manifestações ocorreram principalmente em Ilhéus e Itabuna. O sindicato dos rodoviários não aderiu à greve geral por ter retornado ao trabalho no dia 13, após uma paralisação de 10 dias por melhorias salariais.

Também foram realizados protestos nos municípios como Porto Seguro, Guanambi, Bom Jesus da Lapa, Wenceslau Guimarães, Caetité Valença, Iramaia, Birataia, entre outros.

Por Miriam Hermes