Header Ads

Saiba como consultar e sacar os R$ 500 do FGTS


A Caixa Econômica Federal anunciou nesta segunda-feira, 5, o calendário para o saque de até R$ 500 de contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Para quem tem conta poupança na Caixa, o valor será disponibilizado a partir de 13 de setembro. Já para os trabalhadores que não possuem vínculo com o banco, os recursos estarão disponíveis a partir de 18 de outubro. 

Para os correntistas, cerca de 33 milhões de pessoas, o dinheiro será disponibilizado automaticamente na conta. Já os outros trabalhadores podem fazer o saque em agências da Caixa Econômica. Quem tiver Cartão Cidadão e senha cadastrada consegue pegar o dinheiro em caixas eletrônicos e em casas lotéricas. Cotista que tiverem 100 reais ou menos em suas contas podem pegar o dinheiro em casas lotéricas, apenas com a apresentação de carteira de identidade e número do CPF.


O Cartão Cidadão é o mesmo usado para o recebimento de seguro-desemprego ou abono do PIS. O cadastro da senha do cidadão pode ser feita nas agências da Caixa ou casas lotéricas, com a apresentação de CPF, carteira de trabalho e RG.

O trabalhador poderá retirar o recurso até o dia 31 de março do ano que vem. Após esse período, a movimentação dos 500 reais não será permitida e o dinheiro voltará a conta do FGTS. Para o trabalhador que tem conta poupança, não haverá limite para este saque. 

Atendimento estendido

Segundo o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, as agências da Caixa abrirão com duas horas de antecedência, a partir das 8h, no dia da liberação dos recursos. Haverá atendimento também aos sábados. Na semana seguinte da liberação, as agências também funcionarão em horários estendidos para dar conta da demanda.

De acordo com o banco, são 40 bilhões de reais em recursos liberados entre 2019 e 2020. Cerca de 96 milhões de trabalhadores serão beneficiados com a liberação dos recursos.

Consulta ao saldo

Os saques imediatos do FGTS liberarão até 500 reais por conta ativa — daquelas de contratos de trabalho vigentes —  e inativas, para vínculos já encerrados. Caso o trabalhador tenha menos que 500 reais na conta, consegue sacar a totalidade dos recursos. Se tiver mais, o limite é de 500 reais. Lembrando que, caso o trabalhador tenha mais de uma conta, caso de quem já teve mais de um emprego registrado em carteira, é possível sacar 500 reais por conta. Ou seja, se o trabalhador tiver três contas com mais de 500 reais em cada uma delas, poderá pegar até 1.500 reais. 

Para saber quanto poderá pegar, a consulta ao saldo é feita por meio do saque do FGTS. Para isso, é necessário cadastrar uma senha. Tenha em mãos o número do NIS/PIS. Esse dado pode ser encontrado no Cartão do Cidadão, na Carteira de Trabalho, extrato impresso do FGTS ou no site Meu INSS.  Após informar o número do NIS/PIS e clique em “cadastrar senha”. Preencha seus dados e faça o login para acessar a conta.

O site vai mostrar informações sobre todas as contas de FGTS que o trabalhador já teve – a cada emprego é criada uma nova para receber os depósitos mensais de 8% do valor do salário. O extrato mostra também as contas que já tiveram saques efetuados. Esta opção está disponível na aba “extrato completo”.

Com a mesma senha, é possível checar as informações no aplicativo do FGTS, disponível para celulares com sistema operacional iOS ou Android. No site ou aplicativo, é possível se cadastrar para receber mensalmente as informações por SMS ou e-mail. A outra opção para consultar os recursos é o papel. A cada dois meses, a Caixa manda para a residência do trabalhador um extrato.

Também é possível fazer a verificação em uma agência do banco, mediante a apresentação de documento oficial (RG, CPF e carteira de trabalho).