Governo mapeia crianças não vacinadas contra sarampo; Bahia ultrapassa 110 mil


A situação vacinal de sarampo de 6,5 milhões de crianças de seis meses a menores de cinco anos foi mapeada pelo Ministério da Saúde. O objetivo da iniciativa, de acordo com a pasta, é de que as informações norteiem gestores locais para a definição de estratégias para realização de busca ativa das crianças com o esquema vacinal incompleto. 

Os dados foram anunciados nesta terça-feira (29), em Brasília, durante apresentação do balanço das ações da primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra o sarampo. 

O levantamento computou o quantitativo de doses aplicadas da tríplice viral, que protege contra o sarampo, rubéola e caxumba. O documento aponta que a Bahia possui 428.527 crianças dentro da faixa etária alvo da vacinação. Um total de 110.405 crianças que não foram submetidas a nenhuma dose da imunização. Outras 145.904 tomaram a primeira dose, 141.569 as duas doses e 30.649 três doses ou mais.

“A lista das crianças não vacinadas é uma iniciativa do Ministério da Saúde para potencializar o trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias na busca ativa dessas crianças. A medida vai apoiar os municípios no alcance da meta de cobertura vacinal contra o sarampo, para que eles consigam receber o restante dos R$ 206 milhões liberados pela pasta para ações locais de vacinação. Com esse reforço financeiro e a estratégia da busca ativa, os municípios terão fôlego para organizar e implantar mais ações de imunização a quem mais precisa”, destacou o secretário de Atenção Primária à Saúde, Erno Harzheim. 

A média nacional de vacinação contra o sarampo em crianças de seis meses a menores de um ano atingiu a meta de 95%. A Bahia, no entanto, ainda não conseguiu alcançar o índice. No estado a cobertura vacinal para este público está em 82,27%, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Por Jade Coelho