Clube de Leitura Sertãozinho encanta crianças e pais em Jacobina; 'É uma iniciativa incrível'

A Sertão Livraria e Café, seguindo seu objetivo de manter aquele local como um espaço para excelentes encontros, deu continuidade nesse fim de semana ao projeto Clube de Leitura Sertãozinho, cujo objetivo é, além de incentivar o hábito da leitura, abordar temas que coloquem as crianças dentro do que está sendo discutido na sociedade.

De acordo com a sócia-proprietária Amanda Teixeira, os pais veem nessa ação uma oportunidade de despertar nas crianças o gosto pela leitura, assim como desenvolver sua imaginação. "Neste mês de novembro trabalhamos um livro que trata do tema discriminação racial, pois nós buscamos sempre inserir as questões que estão sendo discutida na sociedade, para que as crianças também façam parte dessa discussão e cresçam com a consciência que se pede para viver bem nessa sociedade" contou. 

O livro trabalhado foi "O cabelo de Cora", de Ana Zarco Camara, que fala de uma criança negra, uma menina que sofre uma cena de racismo na escola, por conta do seu cabelo crespo. Cora, apesar de muito triste, busca formas de melhorar com sua tia, a qual mostra que seu cabelo é, na verdade, uma linda coroa e traz ancestralidade na sua história, um cabelo resistente e bonito. "Dentro desse tema a gente pode trabalhar com as crianças não só uma questão pontual, o cabelo, mas também sobre a estética, de como cada criança se vê e se percebe dentro da sociedade" Acrescentou Amanda. 

Para o policial militar Dionei Alves Barreto, pai de uma das crianças "o Clube da Leitura Sertãozinho é uma iniciativa incrível! Eu, que sempre gostei de ler, quis estimular essa paixão em minha filha, e consegui isso através do clube", contou.

Foi dada às crianças uma caricatura do seu cabelo, os traços do seu cabelo para que fizesse uma pintura e, dentro dessa perspectiva, remeter a uma citação do livro que diz: Cada um tem uma cor, cada um tem um cabelo e seja como for, não existe um modelo. Um espelho também foi utilizado na metodologia para que cada criança trabalhasse sua auto-imagem e sua identidade a partir das suas próprias características.  

Por Igor Fagner - Jacobina Notícias