Evento encerra curso sobre diversidade no IFBA, em Jacobina


Na tarde desta quinta-feira, 13, o Instituto Federal da Bahia -IFBA Jacobina promoveu o “Ovulário Integrador”, com o objetivo de encerrar as atividades do curso de extensão “Formação continuada docente: a diversidade como princípio educativo”. A capacitação ocorreu durante todo o segundo semestre de 2019 e, além de Jacobina, contou com representantes de Serrolândia, Saúde, Caldeirão Grande e Miguel Calmon.

Na culminância do projeto, os cursistas, divididos em grupos, realizaram uma apresentação de trabalhos, dentro dos temas que foram abordados durante a formação: Libras Game: uma ferramenta computacional para o ensino das quatro operações; O fortalecimento da Libras; A importância do Sistema Braille na alfabetização de pessoas com deficiência visual; Como trabalhar as relações étnico-raciais na pré-escola; e A violência contra as mulheres em Jacobina.

Para a professora Esp. Suzemary Lima, responsável pela formação em Atendimento Educacional Especializado, essa foi uma oportunidade de mostrar aos alunos que é possível transformar a vida das pessoas por meio do AEE. "O Atendimento Especializado é um trabalho de sensibilização que engloba toda a família do estudante. As deficiências nós já conhecemos, o que precisamos agora é descobrir o caminho para que eles desenvolvam as habilidades que ainda estão lhes faltando. Então, esse curso, sob a coordenação de Eliene, foi muito importante para a gente porque nós podemos divulgar o nosso trabalho e mostrar a capacidade das pessoas com deficiência" destacou.

Por sua vez, a pedagoga e coordenadora da formação, Eliene Sales, contou ao Jacobina Notícias que essa formação nasceu de três pesquisas de mestrado, a qual propunha formação de professores. "Os temas surgiram da necessidade apontada por cada professor dessa pesquisa. Temos uma aluna surda e um aluno cego no IFBA, então havia uma inquietação por parte do corpo docente, em aprender a se comunicar com eles. Já o tema Gênero e Sexualidade, surgiu porque nós temos diversos relatos de situações machistas no IFBA e situações de racismo. Embora sejamos uma instituição em que todos os documentos sejam abertos à diversidade e o respeito às diferenças, mas o racismo e o machismo é estrutural e eles acabam sentindo, em algum momento, uma reação desse tipo. Então pensamos em formar um curso de formação para atuar com as diversidades" contou.

Ainda de acordo com Eliene com a criação dessa formação, em cima da necessidade dos professores do IFBA, despertou o interesse nas cidades circunvizinhas "Nós tivemos 40 estudantes matriculados, porém com uma demanda muito maior na inscrição, o que nos faz pensar em iniciar um outro curso, a partir do mês de junho, porém agora para aprofundarmos nos temas de relações étnico-raciais, Gênero e Sexualidade, para as deficiências, tanto visuais quanto a surdez, e ampliar as vagas para as cidades próximas, e cada um se inscreva no tema que mais lhe chamar atenção" disse a pedagoga destacando que "esse curso foi construído com parceria entre IFBA e os municípios, é importante frisar isso, principalmente porque houve uma dedicação por parte dos formadores".


Ainda sobre o curso

Promover a inclusão das diversidades na escola, combater exclusões e afirmar as diferenças foi o objetivo principal do curso “Formação Continuada Docente: A Diversidade Como Princípio Educativo” iniciado em 14 de agosto de 2019, no Instituto Federal da Bahia (IFBA). Com carga horária de 160 horas, a capacitação teve como público-alvo os servidores e alunos do instituto e professores das redes públicas municipal e estadual de Jacobina e região. 

Os participantes foram selecionados após inscreverem suas cartas de intenção no portal do IFBA, e tiveram a oportunidade de aprimorarem seus conhecimentos em 88 horas presenciais e 72 horas a distância. 

Nascida de pesquisa de mestrado, a formação foi organizada pelas pedagogas Eliene Sales e Indaiara Silva, além do técnico em Assuntos Educacionais Daniel Neves Neto. A ideia foi desenvolver, em movimento de ação-reflexão-ação, conhecimentos sobre o trato pedagógico com as referidas diversidades e diferenças e possibilitar práticas docentes equitativas e inclusivas. A formação contou com a presença das formadoras especialista Suzemary e a professora mestra Fabiana e do professor Herculano.

Igor Fagner - Jacobina Notícias