Bahia registra 18ª morte de paciente com Covid-19


A Bahia registrou mais duas mortes de pacientes com coronavírus na tarde desta quarta-feira (8). A informação foi divulgada pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Com esses dois casos, o estado já registra 18 mortes pela doença.

Segundo informações da Secretaria Estadual de Saúde da Bahia (Sesab), as pacientes são idosas dos municípios de Ipiaú, paciente de 72 anos, e Uruçuca, que não revelou a idade da paciente. Ambas eram cardiopatas e estavam internadas em hospitais públicos.

Das 18 mortes registradas no estado, 11 ocorreram em Salvador. Os cinco óbitos restantes estão distribuídos entre Lauro de Freitas (1), Itapetinga (1), Utinga (1), Adustina (1), Araci (1), Ipiaú (1) e Uruçuca (1).

A Sesab confirmou, ainda na tarde desta quarta, que o estado tem 515 pacientes infectados. O órgão também já tinha confirmado a 15ª e a 16ª morte por Covid-19 durante a manhã.

Ainda de acordo com a Sesab, este número contabiliza todos os registros de janeiro até as 17 horas desta quarta-feira. Ao todo, 128 pessoas estão recuperadas e 50 encontram-se internadas, sendo 28 em UTI. Até o momento, 3.404 casos foram descartados.

De acordo com o boletim da Sesab, os novos casos foram registrados nas cidades de Araci (1), Aurelino Leal (1), Belmonte (1), Coaraci (1), Conceição do Coité (2), Euclides da Cunha (1), Feira de Santana (1), Gongogi (1), Ilhéus ( 4), Itabuna (4), Itagi (1), Itapetinga (1), Itatim (1), Salvador (22), Serrinha (2), Uruçuca (1) e Vitória da Conquista (8). Além de um paciente residente de São Paulo que foi confirmado em Salvador.

Com isso, as cidades de Araci, Aurino Leal, Conceição do Coité, Euclides da Cunha, Gongogi, Itagi, Itatim e Serrinha passaram a ter casos confirmados da doença. Outro destaque é para Vitória da Conquista que, em 24h, passou de 4 para 12 casos.

Até a noite desta quarta, 59 municípios da Bahia já registraram casos confirmados de pacientes infectados pelo Covid-19. São eles: Adustina (1), Alagoinhas (5), Araci (1), Aurelino Leal (1), Barra (2), Barra do Choça (1), Barra do Rocha (3), Barreiras (1), Belmonte (2), Brumado (7), Cachoeira (1), Camaçari (9), Campo Formoso (1), Canarana (1), Candeias (1), Catu (1), Coaraci (1), Conceição do Coité (2), Conceição do Jacuípe (1), Conde (1), Dias D'Ávila (2), Euclides da Cunha (1), Feira de Santana (33), Gandu (1), Gongogi (1), Ibirataia (3), Ibotirama (1), Ilhéus (22), Ipiaú (6), Itabuna (16), Itagi (1), Itagibá (3), Itajuípe (3), Itamaraju (1), Itapetinga (3), Itarantim (1), Itatim (1), Itororó (4), Jequié (1), Juazeiro (3), Lauro de Freitas (17), Medeiros Neto (1), Nova Soure (1), Palmeiras (1), Piripá (1), Pojuca (1), Porto Seguro (10), Prado (4), Salvador (290), Santa Cruz Cabrália (4), Santa Maria da Vitória (1), São Domingos (1), São Francisco do Conde (1), Serrinha (2), Simões Filho (1), Teixeira de Freitas (3), Uruçuca (4), Utinga (1) e Vitória da Conquista (12). Um paciente residente de São Paulo, outro do Piauí e três de Brasília foram notificados em Feira de Santana. Dois moradores do Rio de Janeiro foram notificados em Lauro de Freitas e um morador de Santa Catarina foi confirmado em Salvador. Além do paciente que mora em São Paulo e foi diagnosticado em Salvador.

De acordo com o boletim da Sesab, através de busca ativa com hospitais do estado, identificou-se que no período de 27 de março até esta quarta, 120 pacientes estão internados, sendo que 50 são confirmados para Covid-19: 28 em UTI e 18 em enfermaria; 70 casos estão como suspeitos e em monitoramento, aguardando resultado laboratorial.

Perfil

Quanto ao sexo dos casos confirmados na Bahia, 48,4% são do sexo masculino e os outros 51,6%, feminino. A média de idade é de 40 anos, variando de 4 dias a 96 anos.

A faixa etária mais acometida foi a de 30 a 39 anos, representando 28,60% do total. Porém, o coeficiente de incidência por 100.000 habitantes foi maior na faixa de 50 a 59 anos (6,87/100.000 hab), indicando o maior risco de adoecer entre os idosos.

A Sesab destaca que os números são dinâmicos e, na medida em que as investigações clínicas e epidemiológicas avançam, os casos são reavaliados, sendo passíveis de reenquadramento na sua classificação

O diagnóstico positivo para o novo coronavírus pode cursar com grau leve, moderado ou grave. A depender da situação clínica, pode ser atendido em unidades primárias de atenção básica, unidades secundárias ou precisar de internação. Mesmo definindo unidades de referência, não significa que ele só pode ser atendido em hospital.

Os casos graves devem ser encaminhados a um hospital de referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar.