Maia adota cautela ao falar sobre pedidos de impeachment contra Bolsonaro


Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) tentou evitar falar nesta segunda-feira (27) sobre a possibilidade do impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). No entanto, com a insistência dos repórteres, o parlamentar defendeu que qualquer análise sobre o tema seja feita com cautela. Atualmente, ele possui quase 30 pedidos para serem analisados. 

“Nosso papel é ter paciência e equilíbrio. Acho que é legítimo a sociedade, os parlamentares, parte deles, tentarem discutir CPIs e outros instrumentos, mas acho que a Câmara deve, sobre minha presidência, respeitando a posição de outros parlamentares, ter essa paciência e esse equilíbrio para que nós possamos tratar o que é mais importante, que é a vida, os empregos e a renda dos brasileiros”, declarou. 

Para o deputado federal, a Casa não pode contribuir para a crise que o governo vem passando.  “O que nós não podemos de forma nenhuma é que o parlamento seja mais um instrumento de crise e incertezas que, infelizmente, hoje têm sido gerados no nosso país”, disse. 

Maia ainda justificou a hesitação em falar sobre o assunto. “Quando se trata de um impeachment, eu sou o juiz. Eu não posso ficar comentando tema das qual a decisão é minha de forma independente. É uma questão que a gente tem que tomar muito cuidado. Já passei por isso no governo do presidente Michel Temer, e com equilíbrio e paciência a gente superou esse período”, finalizou.

Por Matheus Caldas