3º teste positivo de Bolsonaro acende dúvida: quanto tempo dura covid-19?

Algumas semanas, um mês, 15 dias. Afinal, quanto tempo dura a infecção pelo novo coronavírus e por quanto tempo uma pessoa continua contagiosa?

O coronavírus já infectou de 2 milhões de pessoas no Brasil, incluindo o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Nesta quarta-feira, 22, um terceiro teste feito por ele também deu um resultado positivo, acendendo a discussão sobre quanto tempo efetivamente pode durar a covid-19 no organismo humano.

Mas por que uma pessoa segue com o teste positivo mesmo depois de semanas com a doença? Segundo o médico sanitarista Gonzalo Vecina Neto, isso indica que a pessoa ainda tem a carga viral em seu corpo. “Mas não existe nem a recomendação de fazer um segundo teste. Se você fez o primeiro e deu positivo. Após 14 dias, se você não tem mais sintoma, significa que o organismo ganhou a batalha”, diz.

Para David Dowdy, professor e infectologista na Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, o duplo positivo pode ser explicado pela constante replicação viral, o que significa que o corpo está com o vírus sob controle, mas ainda não conseguiu matar todas as partículas virais.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) do governo dos Estados Unidos aponta que o vírus pode ser detectado por semanas após os primeiros sintomas da doença aparecerem, contudo, a duração do contágio e o período de infecção ainda não são conhecidos, segundo o CDC.

O tempo de incubação do vírus, por exemplo, pode ser de 14 dias. Já o tempo em que ele fica presente no corpo humano varia, mas, em média, as pessoas tendem a melhorar de dez a 14 dias.

Dados do estudo Our Covid Symptom Study, realizado em parceria com a King’s College de Londres, apontam que a maioria das pessoas se recupera da covid-19 em até duas semanas, o que corrobora a informação citada acima. Apesar disso, uma em cada dez ainda pode sofrer com a doença mesmo após três semanas — ou até meses.

É incerto se os infectados, mesmo tendo testes positivos, continuam a espalhar o novo coronavírus. Uma pesquisa chinesa mostra que um doente, por exemplo, foi capaz de continuar infectando outras pessoas por até 49 dias, mesmo tendo sintomas leves da doença.

O tempo de duração do vírus no corpo humano, no entanto, ainda não é algo claro para pesquisadores e cientistas. E mesmo com um teste positivo, a pessoa pode já estar recuperada. “O ácido nucléico do vírus pode ficar no corpo semanas após a recuperação, então é definitivamente possível que isso aconteça mesmo depois da recuperação”, diz Dowdy.

As pessoas que foram infectadas também podem continuar sofrendo complicações mesmo após terem se recuperado do vírus e não serem mais contagiosas. Entre elas estão a fadiga e a dificuldade de respirar, que pode indicar um problema pulmonar causado pela doença.

Foi o caso de Beatriz Carrer, de 23 anos, que mora na França. Infectada pelo coronavírus em meados de abril, mesmo após quatro semanas da doença os sintomas ainda não haviam dissipado completamente. Carrer não tinha nenhuma doença que poderia colocá-la como integrante do grupo de risco. O escritor Gabriel Campi, de 30 anos, contraiu o novo coronavírus de colegas de trabalho em 26 de março. No mesmo dia do contato com a pessoa infectada, Campi já apresentou sintomas como febre, dor no corpo e calafrios. Após tomar remédios para a gripe, à base de paracetamol, a febre cedeu, mas a dor de cabeça voltou e persistiu por mais algumas semanas.

Por quanto tempo uma pessoa contagiosa é capaz de infectar outras?

O período de infecção, quando a pessoa infectada é capaz de espalhar o vírus, já pode começar de um a três dias antes de os sintomas aparecerem. Uma pessoa que tem covid-19, por exemplo, fica mais infecciosa de um a três dias após o aparecimento dos sintomas e é mais forte durante os primeiros sete dias de infecção.

Mesmo assim, outras pessoas podem ficar infecciosas por ainda mais tempo. Quando os casos do SARS-CoV-2 são mais graves, é comum que os sobreviventes continuem contagiosos por até dez dias após o início dos sintomas da doença, segundo um estudo chinês publicado em março na prestigiada revista científica The Lancet. “Dependendo da causa para um teste positivo, a pessoa pode sim ainda estar contagiosa. A gente sabe que algumas continuam infectando outras por semanas. Também sabemos que outras testam positivo por semanas, mesmo sem estarem mais espalhando a infecção”, explica Dowdy.

Vecina concorda. “A regra geral do ponto de vista do que nós sabemos é que por volta do 12º ao 14º dia você não tem mais o vírus viável na sua orofaringe. Depois de um tempo, seu organismo produzi anticorpos e pode ter destruído os vírus ativos, no entanto, você pode continuar tendo material infeccioso, mas que não é viável, ou seja, não são vírus inteiros com capacidade de produzir a doença”, afirma ele.

A covid-19, então, segue com muitas incertezas. Entre as principais, está o risco de uma possível reinfecção. Para Dowdy, embora ainda não tenhamos visto muitos casos recorrentes, é importante lembrar que essa é uma possibilidade que não pode ser descartada. “Isso significa que a imunidade está durando por pelo menos alguns meses. Além disso, ninguém sabe.”

Exame / Abril