Idosa tem alta após 20 dias internada com Covid-19 na Bahia; marido morreu


Uma idosa de 64 anos se recuperou da Covid-19 após ficar internada no Hospital Aliança, em Salvador, junto com o marido, que acabou morrendo por causa da doença. Após a alta, a família, que tem uma fábrica de calçados, resolveu produzir máscaras para doação.

Imigrante chinesa, a empresária Cíntia Chen mora no Brasil há 40 anos. Ela conseguiu vencer a Covid-19 após ficar 20 dias internada. Ela foi para o hospital, mas não precisou ficar na UTI.

"A gente foi internado por causa de Covid e dia 27, ele [marido] estava sentindo a respiração mal e entrou na UTI. Eu consegui alta, saí do hospital e fui para casa descansar", relatou Cíntia.

Após perder patriarca, família doa máscaras e calçados como forma de superação na BA — Foto: Reprodução/TV Bahia

O marido de Cíntia, de 73 anos, ficou entubado e acabou tendo complicações nos rins e no coração. A família, que tem fábrica na Bahia e no Ceará, também está produzindo calçados para quem está enfrentando a doença na linha de frente.

"Qual era a nossa lógica no começo? Era que com a máscara pudesse salvar um pai de família, que já é suficiente, como não conseguimos salvar o nosso. Então, a gente começou a fazer máscaras tanto no Ceará, tanto aqui na Bahia, em Amélia Rodrigues. Além de calçados de segurança para os hospitais, o Samu, para poderem ajudar os outros", explicou Jaime Chen, filho de Cíntia.

Outro caso

Médico que não tinha comorbidades se recupera após ser intubado por causa da Covid-19 — Foto: Reprodução/TV Bahia

A saída de cada recuperado de um hospital traz uma carga enorme de emoção e esperança contra a Covid-19. Cerca de 15 kg mais magro, em uma cadeira de rodas, o médico Elizeu Sales também se recuperou da doença e saiu do Instituto Couto Maia com comemoração da família. Ele não faz parte do grupo de risco, mas teve a forma mais grave da doença.

"No dia 4 desse mês de julho, eu estava trabalhando, cheguei em casa já sentindo uma coisa estranha na gargante e falei para minha esposa, que tinha alguma coisa errada comigo. Estava com calafrios, dor de cabeça. Eu já estava com falta de ar, aquela respiração ofegante", contou o médico.

Em menos de uma semana, 80% do pulmão do médico estava comprometido. Elizeu veio transferido do interior para Salvador, onde ficou pouco tempo consciente.

"Eu me lembro que eu pedi aos colegas, aos fisioterapeutas, que eu já não aguentava mais, tinha que ser entubado. Eu pedi para ser entubado. Daí em diante, passei 4 dias entubado, quando saí, vi que realmente foi algo muito grave", disse Elizeu.