Saiba mais sobre a médica de Jacobina que participou dos testes da vacina contra a Covid-19

Cilmara Melo foi escolhida para ser uma das 2 mil profissionais de saúde na Bahia a participar dos testes

"Apaixonada pela família e pela profissão", assim se define a médica ginecologista de Jacobina, Cilmara Melo, que participou como voluntária, em Salvador, dos testes experimentais para uma vacina contra a Covid-19, desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, em parceria com a biofarmacêutica AstraZeneca. A infecção, causada pelo novo coronavírus, já ultrapassou a marca de 80 mil vítimas fatais no Brasil.

E num momento tão delicado como esse, surge um fio de esperança, através do voluntariado. Assim como as pessoas do mundo inteiro, Cilmara aguarda incansavelmente a comprovação de eficácia da tão esperada vacina.

Ao Jacobina Notícias, ela contou que soube da iniciativa através de um grupo de colegas da faculdade no WhatsApp e não pensou duas vezes quando decidiu se cadastrar para participar.

“Após a inscrição, eles me ligaram 10 dias depois e me perguntaram se eu realmente tinha o interesse em participar, mesmo morando longe. Eu disse que tinha e resolvi ir à Salvador, passei por consultas, avaliações médicas e laboratoriais até ser aceita no estudo”, contou.

Os testes para a vacina de Oxford são restritos aos profissionais da saúde, mediante comprovação da atividade e de atuação. Somente na Bahia, 2 mil profissionais foram selecionados para receberem a dosagem da vacina.

Sócia-proprietária da Clínica Humana em Jacobina, Cilmara é formada em medicina, com especialidades em ginecologia, ultrassonografia, implantes hormonais e infertilidade. Para ela, a experiência de fazer parte de algo tão grandioso como a testagem, que pode beneficiar milhões de pessoas futuramente, fez com que seu coração se enchesse de alegria.

“É uma sensação muito boa, estar fazendo parte da história da medicina. Estamos falando da maior pandemia dos últimos 100 anos. E como profissional de saúde, já me sinto lisonjeada em atuar, e agora muito mais, porque estou, junto com todos os outros que se voluntariaram, ajudando a salvar muitas vidas num futuro próximo”, completou a médica, que será reavaliada pelos próximos 30, 90 e 365 dias, para que sejam avaliados os efeitos colaterais da medicação.

A vacina
Ao todo, cerca de 50 mil pessoas participam dos testes em todo o mundo, sendo 10% delas no Brasil. Os brasileiros estão previstos para receber a dose na terceira fase de vacinação. Os resultados positivos até aqui são das duas primeiras fases dos testes de imunização.

Ainda está sendo estudado o protocolo, mas cientistas acreditam que o efeito deve ser reforçado com uma segunda dose. Na Bahia e em São Paulo, são cerca de 2 mil pessoas participando em cada estado. Outras mil pessoas também realizam os testes no Rio de Janeiro.

Por Eduardo Dias / Jacobina Notícias - Conectando você com o mundo.