Ex-vereador Ramon Santos defende um Plano de Bairro para o município de Jacobina

Todos nós aprendemos desde os tempos da escola que toda atividade a ser desempenhada, precisa primeiro de planejamento. Já dizia o grande filósofo Pitágoras,  que "com tempo e organização consegue-se fazer tudo e bem feito", e com uma cidade, um bairro ou uma rua não é diferente, basta união, gestão e vontade de fazer.

E é partindo do princípio da organização, que o ex-vereador e 1° suplente do legislativo Ramon Santos defende para Jacobina um Plano de Bairro, que tem por objetivo criar um cronograma de ações, elegendo prioridades e, com investimentos para curto, médio e longo prazo, ir reestruturando a cidade a partir de discussões com a própria comunidade.

"Eu sempre estive na linha de frente dessa luta por melhores condições de vida para os moradores da região do Jacobina III, uma comunidade que mais parece uma cidade dentro dentro de outra cidade, com mais de 10 mil habitantes, então tenho contato direto com os moradores e sei quais são suas maiores necessidades. Alguns projetos já conseguimos tirar do papel, outros estão caminhando para que sejam concretizados, então isso mostra que se tivermos um Plano de Bairro já definido, dá para se buscar do poder público uma sequência de ações seguindo uma ordem de prioridades" destacou Ramon Santos.

O ex-vereador lembra ainda que, entre os projetos que têm buscado para aquela região estão a construção de uma base comunitária de segurança, a escritura para todos os imóveis, reestruturação das praças, ampliação da Escola Adalice Ferreira e da Creche Telma Rocha, além da conclusão do Centro de Educação Infantil do Jacobina IV, UBSs para os conjuntos habitacionais Lagoa Dourada e Cidade do Ouro, pavimentação da avenida principal do Pontilhão, entre outros.

"Assim como conseguimos, durante minha passagem pela Câmara de Vereadores, a quitação dos imóveis, a pavimentação e a praça da Jacobina IV, a pavimentação da Morada do Sol, Novo Amanhecer, Lagoinha Nova e da via que liga o Jacobina III ao bairro dos índios, tenho certeza que também conseguiremos que esses outros saiam do papel" contou o suplente de vereador, lembrando ainda que atualmente uma das suas maiores lutas é para evitar que o Município renove o contrato com a Embasa, devido a inoperância da prestadora de serviços com a cidade e do absurdo de querer cobrar do consumidor 80% de taxa de esgoto. "Eles tiveram a oportunidade de prestar um bom serviço para Jacobina e não fizeram, agora está na hora de buscarmos empresas que respeitem o jacobinense" concluiu.