Um mês após cair do 5º andar de um prédio em Salvador, durante discussão com o companheiro, a médica Sáttia Lorena Patrocínio Aleixo segue internada em estado grave. Sáttia caiu de um prédio no bairro de Armação, em Salvador, na madrugada do dia 20 de julho. Após a queda, ela foi levada o Hospital Geral do Estado (HGE), onde permaneceu internada até última semana, quando foi transferida para outra unidade de saúde não divulgada.

O companheiro dela, que também é médico, foi preso em flagrante por tentativa de feminicídio. Rodolfo Cordeiro Lucas teve a prisão revogada no dia 27 de julho.

O inquérito do caso ainda não foi concluído, e a Polícia Civil segue com as investigações. Em nota, a corporação informou que "detalhes e desdobramentos da apuração não estão sendo divulgados".

De acordo com Aloísio Freire, um dos advogados da família da médica, ainda falta a chegada dos laudos para a conclusão do caso. Ele informou que Sáttia falou com a delegada, mas não se lembra do que aconteceu no dia, provavelmente em razão do trauma e o tempo de internação.

Ele ainda informou que a médica está melhorando, mas sua plena recuperação ainda é uma incógnita.

Investigação

Em depoimento na Delegacia de Atendimento Especial à Mulher, o médico Rodolfo Lucas negou que tenha jogado Sáttia do apartamento e disse que a médica se dopava e estava depressiva, versão negada pela família dela. Ele disse à polícia que a médica se pendurou na janela do apartamento e que ele ainda tentou ajudá-la, segurando as mãos dela, mas mesmo assim ela caiu.

Familiares de Sáttia disseram que acreditam que ela foi jogada do apartamento pelo companheiro, e relataram que a médica vivia em um relacionamento abusivo. Uma vizinha do prédio em que Sáttia morava antes de se mudar com o companheiro também relatou que relação do casal era marcada por brigas, e que chegou a ver a médica pedir socorro.

Imagens da câmera de segurança mostraram a médica Sáttia Lorena Patrocínio Aleixo no elevador, um dia antes de cair do quinto andar do prédio, no bairro de Armação, em Salvador. O caso ocorreu na madrugada do dia 20 de julho.

No vídeo, é possível ver que a médica gesticula bastante ao telefone, como se estivesse em discussão, por volta das 16h40 do dia 19 de julho. Logo em seguida, ela sai do elevador. Em um outro vídeo de câmeras de segurança, é possível ver a área externa da rua do condomínio onde o casal morava, e o momento em que o médico chega de carro ao local, por volta das 20h45.

Além disso, a irmã de Sáttia disse em depoimento à Polícia Civil, que a médica desabafou sobre humilhações que o médico Rodolfo Cordeiro Lucas. Jacqueline Aleixo depôs na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), do bairro do Engenho Velho de Brotas. A irmã da médica disse que Rodolfo Lucas controlava as roupas de Sáttia e que ela teve que sair da academia de ginástica e desativar redes sociais por causa do ciúme.

G1 Bahia 
Postagem Anterior Próxima Postagem