Como substituir o arroz enquanto o preço não cai? Confira receitas

O arroz está presente na rotina alimentar da maioria dos brasileiros. A clássica dobradinha com o feijão, porém, vem sendo afetada pela disparada no preço do produto. Um estudo apresentado pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras) mostrou que preparar uma refeição com arroz, feijão, salada e carne está 20% mais caro no país.

Nos últimos 12 meses, o preço do grão subiu 36%. Desde o início da pandemia, a alta foi de 29%. A discussão de preços já está gerando até desentendimento até entre os ministérios da Economia e o da Justiça.

Diante de tudo isso, o Correio consultou uma nutricionista e uma gastrônoma para oferecer opções de alimentos mais baratos e saudáveis em meio ao aumento de preços do arroz.

“Existem formas fáceis de substituí-lo na dieta”, afirma a nutricionista Daniela Maiorino Ferrari. “É válido lembrar que o arroz está na categoria dos carboidratos, então pode ser substituído facilmente por outros carboidratos do grupo, como batata, milho e mandioca. Além de existirem diversas possibilidades com os farelos, como quinoa, amaranto e trigo, entre outros.”

O papel principal do arroz como carboidrato é fornecer energia. “Juntos, ele e o feijão são uma grande dupla de proteínas de alto valor biológico, ou seja, possuem aminoácidos em quantidade suficiente para a manutenção fisiológica do corpo”, ressalta a nutricionista. “Com a substituição do arroz, é possível realizar diversos tipos de preparações que forneçam uma quantidade de energia similar. A batata, o milho e a mandioca podem ser facilmente transformados em purês, polentas e nhoques bem temperados”, acrescenta.

Saúde na mesa
Segundo a gastrônoma e pesquisadora de patrimônios alimentares da FioCruz Jaqueline Bonne, pensar em alimentos que possam substituir o arroz também é uma forma de cuidar da saúde. “Se pararmos para pensar, não necessariamente precisamos de arroz todos os dias nas refeições, e existem muitas outras possibilidades. A quarentena até trouxe essa oportunidade, de pensar fora da caixinha.”

Jaqueline trabalha com o conceito de cozinha afetiva e tenta transmitir o significado para seus pratos e trabalho como consultora. “Na pandemia, várias pessoas me procuraram para ter dicas de como mudar a alimentação agora nesse tempo em que estamos mais recolhidos em casa. Com a alta do preço do arroz, podemos aproveitar e usar ingredientes mais saudáveis, como verduras e legumes refogados”.

Para aqueles que não quiserem substituir o grão totalmente, mas, sim, fazê-lo render mais, outra opção indicada pela chef de cozinha é apostar no arroz colorido. “Ele leva com várias verduras, como milho, ervilha e cenoura. Além de fazer render a refeição, pode mudar um pouco o sabor da comida feita no dia a dia”, argumenta.

Agora, se preferir seguir o conselho da Associação Brasileira de Supermercados, que indicou o consumo de macarrão, o consumidor pode recorrer ao tradicional, feito de trigo ou arriscar um spaghetti de vegetais. “Geralmente, ele é feito com abobrinha e cenoura, mas vale a pena pesquisar sobre como incluir o repolho, ingrediente que considero pouco explorado na mesa dos brasileiros e com grande potencial de preparo”, conclui Jaqueline.

Daniela aconselha que as pessoas desenvolvam a curiosidade e a organização na cozinha. “Caso você desejar mudar sua dieta ou apenas quiser sair da rotina do arroz e feijão, se programe, crie uma lista de compras, procure diversas receitas na internet. Conheça seu paladar, do que você mais gosta. Assim, a troca será mais sutil e de fácil aceitação. Por exemplo, busque alimentos que tenham texturas parecidas com o do arroz, isso pode ser um bom ponto de partida.”

Uma opção fácil para quem deseja trocar o arroz tradicional por outro alimento com textura similar e mais saudável é o arroz de couve flor. A nutricionista ensina a receita:

Arroz de couve-flor:

Ingredientes:
– Couve-flor
– Cebola
– Alho

Modo de Preparo:
– Lave e limpe bem a couve-flor. Triture-a no liquidificador ou processador até que fique com aparência de arroz;
– Em um panela, frite a cebola e alho, depois de dourados junte a couve-flor e adicione água até cobrir;
– Fique de olho para não colocar muita água e a couve-flor cozinhar demais;
– Assim que secar, está pronto. Se quiser, pode adicionar uma cebolinha ou coentro picados por cima.

Macarrão de abobrinha:

Ingredientes:
– 2 abobrinhas
– 1 colher (sopa) de azeite
– 1 colher (sopa) de manteiga
– 1/2 cebola
– 1 colher (chá) de sal

Molho:
– 1 lata de tomate pelado
– 3 colheres (sopa) de azeite
– 1 dente de alho
– 1/2 cebola
– 1 colher (chá) de sal
– 1 colher (sopa) de açúcar
– Pimenta-do-reino a gosto
– 2 colheres (sopa) de manteiga

Modo de preparo:
– Passe as abobrinhas por um cortador Julienne, desprezando apenas a parte com sementes;
– Em uma frigideira, aqueça o azeite e a manteiga e acrescente a cebola;
– Adicione a abobrinha e refogue em fogo baixo;
– Tempere com sal e reserve.

Molho:
– Em um liquidificador, bata o tomate pelado;
– Em uma panela, aqueça o azeite e adicione o dente de alho e a cebola;
– Acrescente o tomate batido, o sal, o açúcar e a pimenta-do-reino a gosto;
– Mexa bem e, quando levantar fervura, acrescente a manteiga;
– Volte a mexer para que a manteiga derreta;
– Retire a cebola e o alho e sirva com o espaguete de abobrinha.

Correio Braziliense