A família do pedreiro Joeilton de Jesus afirma que ele foi morto por policiais militares após ter a casa que morava invadida na tarde de terça-feira (11), na localidade do Boiadeiro, no subúrbio de Salvador. A Polícia Militar sustenta a versão que ele não resistiu a uma troca de tiros com os agentes.

Segundo a mãe do pedreiro, o filho não tinha arma e nem envolvimento com a criminalidade.

Só sei que meu filho estava dentro de casa, é trabalhador e deu um duro danado para fazer a casa dele. Ele estava com um orgulho danado de ter feito o cantinho para morar, por não pagar mais aluguel, contou a mulher, que preferiu não ter o nome revelado.

Meu filho nunca roubou, nunca matou ninguém. Era um bom filho, fazia de tudo para fazer a filha feliz e agora a bichinha ficou sem ninguém para cuidar, lamentou, emocionada.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), Joeilton de Jesus trocou tiros equipes da Companhia de Patrulhamento Tático Móvel, chamada de "Patamo".

Os fatos todos serão apurados. Toda vez que há uma intervenção policial, os fatos são apurados pela Corregedoria da PM, disse o representante do comando da 14ª CIPM, capitão Luiz Armando Limoeiro.

Na ação policial, conforme a corporação, foram apreendidos um fuzil calibre 5,56, uma pistola calibre 380, carregadores, munições e câmeras de monitoramento.

A versão dos policiais é de que estavam fazendo incursões na localidade, se depararam com elementos armados, onde houve confronto e eles reagiram a injusta agressão. Posteriormente encontraram um indivíduo alvejado, foi conduzido para prestação de socorro e os materiais apresentados na delegacia, afirmou o capitão da PM.

Agora com essa informação da parente, nós vamos investigar o fato. Será feita a devida instauração do processo, ressaltou.

Pai de uma criança de 4 anos e querido por vizinhos

De acordo com uma prima de Joeilton de Jesus, que também preferiu não revelar a identidade por medo, o pedreiro tem uma filha de quatro anos, que ainda nem foi avisada da morte do pai.

Não sei o que vai acontecer a partir de agora, porque deixou uma filha pequena, que nem sabe o que aconteceu. Não sabemos nem como vamos explicar a ela sobre essa tragédia, afirmou.

A prima de Joeilton de Jesus relatou que ele preparava o almoço quando os policiais chegaram no imóvel e o executaram.

Joeilton nunca colocou um pé na delegacia nem para registrar uma queixa, piorou como ladrão ou traficante. Ele sempre trabalhou como pedreiro e fez vários cursos, disse a familiar.

Ainda segundo a prima do pedreiro, depois matar Joeilton, os policiais implantaram armas na casa e disseram que apreenderam no local.

O irmão de Joeilton, que também preferiu não revelar o nome, ressaltou que a vítima não sabia manusear armas e que a casa que ele morava não tinha sinais de troca de tiros.

Inclusive vizinhos contaram que ele ficou com os policiais por dez minutos e o tempo todo implorou pela vida dele. Um dos policiais tentou me coagir falando: ' É o que preto? O que você quer? O que está me olhando?'.

Eu disse que queria saber do meu irmão e ele falou: 'Seu irmão está morto. Se quiser ter notícia dele, vá no Nina, que ele está lá. Porque ele é gaiato e trocou tiros com a polícia'. Meu irmão é um rapaz amigo de todo mundo, relembrou.

Ainda segundo o irmão do pedreiro, o pai dele identificou o corpo de Joeilton de Jesus no Instituto Médico Legal (IML) e verificou que um dos tiros atingiu as costas dele.

Estão dizendo que ele era traficante de uma facção que nem comanda a área que ele morava. Meu pai disse que ele foi atingido nas costas, o que dá a entender que ele foi pego de surpresa.

Fonte: G1 / Foto: Reprodução

Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem