O Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Farroupilha (IFFAR) confirmou nesta sexta-feira (14) as acusações de fraude envolvendo o ex-BBB Matteus Amaral, para ingressar no curso de Engenharia Agrícola.

As especulações e acusações tomaram conta da internet na última quinta-feira (13), após a descoberta de um documento que mostra que o ex-BBB se aplicou para a vaga pelo sistema de cotas raciais como "preto".

Em 2014 o estudante Matteus Amaral Vargas ingressou no curso de bacharelado em Engenharia Agrícola oferecido em conjunto com a Unipampa. A inscrição dele foi feita nas vagas destinadas a candidatos pretos/pardos. Essas informações constam no Edital no 046/2014, que é público e traz o resultado da seleção desse curso naquele ano. Esse curso, oferecido em conjunto com a Unipampa, não é mais ofertado pelo IFFar desde 2021. O Matteus Amaral Vargas também não é mais estudante do IFFar.

Por meio de nota enviada à Contigo!, a instituição afirmou que as acusações feitas nas redes sociais procedem e o ex-BBB conseguiu a vaga porque na época, para conseguir uma vaga pela Lei de Cotas o único documento exigido para comprovação de etnia era uma declaração feita pelo próprio aluno, sem checagem de uma banca avaliadora.

O IFFAR ainda informou que a fraude não foi investigada na época porque não houve nenhuma denúncia formal durante o período em que Matteus foi aluno da instituição.

Em relação ao ingresso pelas cotas, é importantíssimo ficar claro que, naquela época, de acordo com a Lei de Cotas de 2012, o único documento exigido para a inscrição nas cotas era a autodeclaração do candidato. Assim como em outras instituições federais de ensino, não havia mecanismo de verificação ou comprovação da declaração do candidato. Os editais, contudo, continham a informação de que, 'a constatação de qualquer tipo de fraude na realização do processo sujeita o candidato à perda da vaga e às penalidades da Lei, em qualquer época, mesmo após a matrícula'. Não havendo nenhum mecanismo específico de verificação de autodeclaração implantado, possíveis fraudes eram apuradas apenas se houvesse denúncia. Ou seja, alguém deveria fazer uma denúncia formal na Ouvidoria da instituição. Nesse caso, a questão poderia ser investigada internamente, por meio de um processo administrativo normal, que assegurasse ampla defesa de todas as partes. Nenhuma denúncia desse tipo foi feita na época.

Dentro do BBB, Matteus chegou a falar sobre a faculdade, no entanto, afirmou aos brothers que só chegou até o 5º período da formação, não concluindo o curso. O participante de 27 anos conseguiu chegar até a final do programa e ficou em segundo lugar com 24,5% dos votos.

O ex-BBB ainda não se pronunciou oficialmente sobre o assunto, mas um vídeo compartilhado por ele e apagado logo em seguida chamou a atenção do público. Na gravação, a mãe de Matteus surge no fundo falando sobre o caso. "Já ouvi dizer que isso aí não dá nada, se eu me declarei negra, sou negra".

Fonte: Bahia Notícias / Foto: TV Globo

Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem