O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), sinalizou certa resistência à inclusão de carnes na lista de produtos da cesta básica nacional, que terá alíquota zero quando a reforma tributária entrar em vigor.
 

"Não tem polêmica em relação a carne, nunca houve proteína na cesta básica, nunca houve. Se couber, a gente vai ter que ver quanto essa inclusão representa na alíquota que todo mundo vai pagar", disse Lira a jornalistas ao chegar na Câmara na tarde desta quarta-feira (3).


"Todas as conversas são de análise item por item. Proteína, só a carne, dá quase 0,57% de [impacto na] alíquota geral. Acho que é um preço pesado para todos os brasileiros."
 

Como mostrou a Folha de S.Paulo, o pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para isentar a carne deu um "nó tributário" no Ministério da Fazenda


A proposta original deixou as proteínas animais fora da cesta de alimentos básicos consumida pela população de baixa renda desonerada. O argumento foi que a inclusão de frango e aves, peixes e carnes vermelhas poderiam elevar a alíquota média final de 26,5% a 27,5%, prevista para os novos tributos.
 

Uma das ideias de Lula é diferenciar carnes nobres dos cortes populares. O problema é que a separação defendida pelo presidente exigiria uma nova classificação tributária no país. Deputados ouvidos pela Folha de S.Paulo afirmaram que a Fazenda tem dificuldade para separar em tempo hábil os tipos de carne.


Fonte: Bahia Notícias 


Jacobina Notícias- O seu portal de informações 

Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem