Header Ads

Em São Paulo, Alckmin perde de Bolsonaro com e sem Lula, diz Ibope


O ex-governador paulista e candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, está atrás do candidato do PSL ao Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro, no Estado de São Paulo tanto no cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, quanto naquele em que o petista aparece.

Alckmin está 9 pontos atrás de Bolsonaro no cenário com o ex-presidente, que está preso em Curitiba, e a desvantagem é de 7 pontos quando o nome do petista é retirado do cenário, informou o Ibope. A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos.


Lula lidera no Estado quando seu nome aparece na disputa com 26 por cento das intenções de voto, seguido por Bolsonaro com 21 por cento e Alckmin, com 12 por cento. Neste cenário, Marina Silva (Rede) tem 6 por cento e Ciro Gomes (PDT), 5 por cento.

Quando o nome de Lula é substituído pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad como candidato do PT, Bolsonaro passa a liderar com 22 por cento, seguido por Alckmin, com 15 por cento. Marina tem 10 por cento, Ciro soma 8 por cento e Haddad chega a 5 por cento.

Em pesquisa Ibope para o Estado de São Paulo divulgada no dia 4 de outubro, quando as candidaturas ainda não haviam sido registradas junto à Justiça Eleitoral, Alckmin tinha 15 por cento, contra 18 por cento de Bolsonaro, no cenário com Lula e, quando o ex-presidente saía da lista, o tucano chegava a 19 por cento, contra 16 por cento do candidato do PSL.

Alckmin governou o Estado de São Paulo por quatro mandatos. Ele deixou o posto em abril deste ano para disputar a Presidência da República pela segunda vez. Foi derrotado no segundo turno por Lula em 2006.

O tucano tem minimizado os resultados das pesquisas e afirmado que a campanha começa para valer a partir de 31 de agosto, quando começa a propaganda eleitoral no rádio e na TV. O candidato do PSDB fechou a maior coligação entre seus adversários e terá o maior tempo de propaganda eleitoral.

O Ibope ouviu 1.204 eleitores paulistas entre os dias 17 e 19 de agosto.

Por Eduardo Simões / Fonte: Reuters

Comentários:

ATENÇÃO: Cada comentário representa a opinião pessoal do leitor. O Jacobina Notícias respeita totalmente seu direito fundamental à liberdade de expressão, sinta-se a vontade. No entanto, comentários ofensivos ou com xingamentos podem ser removidos sem aviso prévio.
Tecnologia do Blogger.