Header Ads

Incêndio em fábrica de Salvador é controlado após 5h


O incêndio de grandes proporções que atingiu a fábrica da Ortobom no bairro de Valéria, em Salvador, foi controlado cerca de cinco horas após as chamas tomarem conta da unidade. Vale ressaltar que o incêndio não foi totalmente debelado.

O incêndio começou pouco antes das 6h. Conforme disse Major Ramon Diego, do Corpo de Bombeiros, um galpão da fábrica foi atingido pelo fogo. No local, além de documentos, estavam dois cachorros que foram retirados com vida.

"Nesse momento estamos com o fogo controlado. Confinamos o fogo na faixa principal. Preservamos 40% área edificada. Retiramos 14 caminhões, dois animais e material de escritório. Isolamos o local e estamos dando assistência a localidade. Ainda está tendo rescaldo. O material queima rápido. A influência do material, da temperatura, faz com que o calor retome", explicou o major.

Ninguém ficou ferido no incêndio, mas cerca de 20 casas precisaram ser desocupadas, segundo informou a Defesa Civil de Salvador (Codesal). Além disso, dos 20 imóveis, cinco foram atingidos pelo fogo, mas não há detalhes do que foi destruído.

As famílias que não conseguiram abrigo na casa de familiares, recebem acolhimento em um centro comunitário do bairro de Valéria, onde fica a fábrica.


Por meio de nota, a Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) informou que, após solicitação de apoio do Corpo de Bombeiros, precisou desligar a rede elétrica do local por questões de segurança. Foram desligadas 36 unidades da área do entorno do incêndio. A Coelba aguarda a liberação do Corpo de Bombeiros para ligar novamente a energia desses consumidores.

Para realizar o combate às chamas, 50 bombeiros atuaram no local, com cinco carros de combate do Corpo de Bombeiros, além de um veículo leve. Foram utilizados 100 mil litros de água.

Incêndio

A fumaça que se formou na fábrica por conta da queima do material foi densa e se espalhou rapidamente pela rua Eurico Temporal, no bairro de Valéria. Os moradores que estavam nas proximidades da fábrica relataram ter escutado barulhos de dentro do espaço, como se algumas estruturas estivessem desabando na parte interna do imóvel.

"Foram várias explosões fortes. Eu mandei meu marido pegar logo a carreta, que costuma ficar colada no muro da fábrica. Eu fiquei desesperada", disse Regina Machado, mulher que mora atrás da fábrica.


As causas do incêndio ainda serão investigadas, mas conforme relatos de funcionários da fábrica, as chamas começaram em uma área onde são produzidos blocos de espuma. Os funcionários relataram, ainda, que a área onde o fogo começou possui muitas máquinas.

"Quem trabalha de madrugada, trabalha bordando os materiais. O incêndio começou na área de resfriamento de bloco [de espuma], que fica no meio da fábrica. O expediente de madrugada acaba 6h. O pessoal estava saindo quando começou o fogo", explicou Paulo César, funcionário da empresa.

O Corpo de Bombeiros informou que os brigadistas da fábrica iniciaram o combate ao fogo mas, por conter muito material inflamável, as chamas se propagaram muito rápido.

G1/Bahia