Header Ads

Suspeitos em fuga invadem casa e fazem reféns no Vale das Pedrinhas em Salvador


O comandante da Rondas Especiais (Rondesp) Atlântico, major Edmundo Assemany Filho, informou que por volta das 16h30, policiais da Rondesp Atlântico receberam uma denúncia de homens armados na rua Cristóvão Colombo. 

Segundo o major, Eric, Wendel Matos de Almeida, de 24 anos, Rodrigo Santana Santos, 18, Paulo Roberto Nascimento dos Santos, 25, e os dois adolescentes, ao verem os policiais,  atiraram na guarnição, que revidou.

“Os criminosos atiraram nos policiais iniciando uma troca de tiros e, em uma tentativa de fuga, eles invadiram uma casa onde estava uma mulher com duas crianças, que foram feitas reféns”, explicou o major. 

Equipes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), das Rondas Especiais (Rondesp) Atlântico e da 40ª Companhia Independente da Polícia Militar (Nordeste de Amaralina) participaram da negociação, que durou três horas, até a liberação das vítimas e a rendição dos sequestradores.

“A negociação foi delicada e tivemos o cuidado para preservar os reféns. Os criminosos estavam exaltados”, revelou o major. 

Vítimas passaram mal

As vítimas foram a dona de casa de prenome Luzimara, 34, e os dois filhos – uma garota de 15 anos e um menino de 2 anos.

Após serem libertadas, a dona de casa e a sua filha passaram mal e foram socorridas até uma Unidade de Pronto Atendimento, segundo um familiar, que não quis se identificar.

Reincidente

Eric Batista foi preso em dezembro de 2018 após fugir e fazer reféns em um posto de saúde, no Nordeste de Amaralina, e solto por ordem judicial depois de ficar um mês no presídio. 

O caso foi registrado na Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Contra a Criança e o Adolescente, pois dois reféns eram menores, e na Delegacia para o Adolescente Infrator, pois dois autores também tinham menos de 18 anos.

Com os homens, foram apreendidas três pistolas, sendo uma israelense e outra chinesa, de calibres 9mm, e uma fabricada no Brasil, calibre 40, pertencente à Polícia Rodoviária Federal.

A suspeita é de que o armamento era do policial Marcelo Caribé de Carvalho, vítima de um latrocínio em 2015, na Pituba. Carregadores, munições e drogas completam a lista de materiais localizados.

“Parabéns a todos os militares envolvidos nesta ação exitosa”, declarou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.


A Tarde