PM acusado de matar homem em festa é condenado a 22 anos de prisão na Bahia


Um policial militar acusado de balear três pessoas, deixando um morto e dois feridos, na noite do dia 12 de julho de 2015, em Salvador, foi condenado a 22 anos e dois meses de prisão em regime fechado. O julgamento que ocorreu na sexta-feira (26), no Fórum Ruy Barbosa, também na capital baiana, durou cerca de 15 horas - começou por volta das 8h30 e terminou às 23h. O réu, Daniel Leite dos Santos vai recorrer à sentença em liberdade, conforme descrito na decisão.

O crime ocorreu durante uma festa na Praça General Labatut, bairro de Pirajá. Antônio Carlos Costa Alcântara, 42 anos, atingido nas costas, não resistiu aos ferimentos e morreu. O outro homem foi atingido na cabeça e uma mulher nas nádegas. Eles foram socorridos e sobreviveram.

Daniel Leite, que na época do crime era tenente do Batalhão Especializado em Policiamento de Eventos (BEPE), chegou a ser preso em 2015. Não há detalhes se ele permanece no quadro da PM.

Na época do crime, a Polícia Miliar PM informou que, segundo relato de populares, o policial estava acompanhado da esposa e da família, e tinha acabado de participar de um bloco durante a festa General Labatut. Eles aguardavam a passagem do bloco seguinte, quando foi iniciada uma briga generalizada, momento no qual o policial teria efetuado os disparos.