Header Ads

Saúde mental: saiba o que é e descubra como manter a sua


Muitas pessoas pensam que ter saúde mental é não apresentar doenças mentais. No entanto, o conceito implica muito mais que a ausência destas enfermidades, sendo determinada por fatores socioeconômicos, biológicos e ambientais.

Uma pessoa não saudável pode apresentar diversos transtornos como depressão, ansiedade, esquizofrenia, bipolaridade, compulsão, entre outros. Por outro lado, é também possível se tornar dependente químico ou de substâncias psicoativas, como o álcool.

Na era das redes sociais, os problemas tendem a ser mais frequentes. Isso porque o julgamento e a necessidade de aprovação, em redes como 'Instagram', podem gerar doenças como depressão e compulsão.

Quem pode ter problemas de saúde mental?

Segundo o Ministério da Saúde, todas as pessoas, de ambos os sexos e em qualquer faixa etária, podem ser afetadas em algum momento, com maior ou menor gravidade.

Recentemente, alguns famosos expuseram seus problemas. O youtuber e humorista Whindersson Nunes, por exemplo, surpreendeu seus fãs ao falar sobre o quadro de depressão que estava enfrentando.

Na mesma situação, artistas como Jim Carrey, Demi Lovato e até o padre Fábio de Melo relataram sofrer com a doença. Já o alcoolismo tem sido exposto pelo ator Fábio Assunção, que luta para vencer a dependência.

Entenda como melhorar a sua vida social com algumas dicas básicas:

1. Compartilhe suas emoções
Reunir pessoas à sua volta para viver emoções comuns é uma das bases do comportamento social. Estudos de psicologia mostram que o ser humano, ao viver uma emoção intensa, como nascimento de um filho, mas, também, a morte de um ente querido, tem o reflexo de compartilhar o que sente com amigos ou pessoas próximas. A função desse reflexo é a de estreitar os laços com os outros: um cimento social do qual não devemos nos privar.

2. Seja educado
Os comportamentos corteses dão uma impressão positiva e valorizam nossa imagem. Em resumo, ser educado pode melhorar muito a vida social, visto que um pequeno “bom-dia”, dependendo da forma como é dito, é capaz de alterar emoções. Estudos mostram que não somente os passantes guardam uma boa lembrança de uma pessoa que se dirige a eles com polidez, mas prestam mais atenção a seu discurso e respondem a ele mais favoravelmente. Ter boa educação e saber se comportar polidamente são etapas obrigatórias para dar uma boa impressão.

3. Sorria
Exibir um sorriso franco é uma boa maneira de ser lembrado. Experiências conduzidas na Universidade de São Paulo mostraram que somos percebidos como mais inteligentes, extrovertidos, simpáticos e sociáveis quando nos apresentamos às outras pessoas sorrindo. Além disso, as pessoas se recordam mais tempo de nosso rosto e de nosso nome.

4. Ofereça bebidas quentes
Servir um café no momento certo pode facilitar as trocas. Experiências realizadas na Universidade de Brisbane, na Austrália, mostraram que as pessoas ouvem mais seu interlocutor após tomarem um café e percebem seu discurso mais favoravelmente. Uma outra experiência, realizada na Universidade de Londres, concluiu que somos percebidos como pessoas mais calorosas se dermos uma bebida quente a nosso interlocutor, pois o cérebro interpreta o calor sentido no contato com a xícara como uma porção de calor afetivo! Então, já sabe: para melhorar a vida social, não se esqueça das bebidas quentes preferidas de sua companhia!

5. Olhe as pessoas nos olhos
Um olhar direto ajuda a convencer seu interlocutor e dá uma impressão de confiança. A conclusão de uma experiência de psicologia é que a taxa de aceitação de um pedido, como a assinatura de um abaixo-assinado ou uma doação em dinheiro, é multiplicada por dez quando ela recebe o reforço de um olhar direto.

6. Inspire confiança
O estabelecimento de uma relação de confiança é essencial e pode se basear em alguns detalhes simples. Por exemplo, o fato de balançar a cabeça incentiva o interlocutor a falar mais e se traduz por um grande grau de satisfação após uma troca.

7. Tenha um bichinho de estimação
Um cachorrinho na coleira ajudará a fazer amigos: é o que revela uma experiência da universidade britânia de Warwick. Os participantes passearam em um bairro da cidade, alguns deles acompanhados por um cão, outros sozinhos. Os cientistas constataram que as pessoas vinham mais facilmente ao encontro dos primeiros para falar ou fazer graça. Os animais domésticos desempenham, assim, um papel de catalisadores sociais. Além disso, os animais podem animar o seu espírito e combater a solidão. Mas, é claro, adote um animal com a intenção de tê-lo com você, e não apenas para que tenha uma função! 

Revista Selções