Jovem é indiciado por quebrar quarentena e infectar avô e mais 19 com coronavírus


A Justiça da Argentina vai analisar um processo contra Eric Torales, jovem de 24 anos acusado de ter furado a quarentena e transmitido o novo coronavírus a 20 pessoas — incluindo seu avô, que morreu de Covid-19.

Segundo o jornal "La Nación", Torales responderá por "propagação de doença perigosa e contagiosa culposa", com o agravante de ter resultado em morte. Ele pode pegar até 5 anos de prisão.

Torales voltou dos Estados Unidos em 13 de março, quando o governo argentino já havia determinado quarentena obrigatória a quem voltasse de países considerados de risco, caso dos EUA. No dia seguinte, ele foi à festa de 15 anos de uma prima.

Dias depois, o jovem e outros convidados apresentaram sintomas da Covid-19, e 20 pessoas tiveram o diagnóstico. O avô passou quase duas semanas internado e morreu em 1º de abril.

De acordo com a agência Efe, a promotoria da cidade de Morón entrará com recurso por entender que Torales teve conduta dolosa — ou seja, tinha intenção ou assumiu o risco de contagiar outras pessoas. Nesse caso, a pena pode chegar a 15 anos de prisão.

O que diz o jovem

Em carta enviada à Justiça argentina, o rapaz afirmou que participou da festa porque a comemoração de 15 da prima "tem significado muito especial conforme os costumes argentinos" e era um evento "único e que não poderia se repetir".

"Nunca, jamais, imaginei que poderia ser portador do vírus. E, menos ainda, poderia se dizer que eu tive a menor intenção de contagiar absolutamente ninguém, muito menos pessoas do meu entorno familiar", disse Torales.