Neymar decide o jogo e PSG conquista a Copa da França

Com um gol de Neymar, o Paris Saint-Germain venceu o Saint-Etienne por 1 a 0, e conquistou a 13ª Copa da França de sua história e o terceiro título nesta temporada, após o campeonato francês e o Troféu dos Campeões (Super Copa da França), nesta sexta-feira, 24, no Stade de France.

Nas últimas seis edições da Copa da França, o time dos brasileiros Neymar e Thiago Silva foi o campeão em cinco, com exceção da que perdeu no ano passado nos pênaltis para o Rennes.

Apesar da alegria de mais uma conquista neste ano, o PSG chegou ao fim da partida desta sexta sem o atacante Mbappé, que sofreu uma falta grave ainda no primeiro tempo e saiu do gramado com uma lesão no tornozelo direito. Agora o jogador francês é dúvida para os próximos compromissos da equipe parisiense: a final da Copa da Liga, contra o Lyon em 31 de julho, e as quartas de final Liga dos Campeões, diante do italiano Atalanta, dia de 12 de agosto em Lisboa (Portugal).

A saída de campo de Mbappé, mancando e com dor no tornozelo direito, foi a imagem negativa do dia para o PSG. Loïc Perrin, capitão do Saint-Etienn e autor da falta sobre o jovem atacante parisiense, foi expulso do jogo aos 31 minutos por esse lance.

Falta de eficiência

Na final desta sexta, o Saint-Etienne foi primeiro a arriscar um lance ofensivo, através de Denis Bouanga (5), que acertou a trave do gol defendido pelo costarriquenho Keylor Navas. O PSG logo mostrou disposição, quando aos 14 Mbappé acertou um chute que foi rebatido pelo goleiro adversário, mas a bola caiu nos pés de Neymar, que tocou para um fundo das redes, para abrindo o placar.

Mas o que era alegria no PSG virou preocupação no minuto 25, quando numa entrada forte de Perrin em Mbappé gerou uma briga entre os jogadores de ambas equipes e uma chuva de cartões amarelos. Depois de revisar a jogada em vídeo, o árbitro expulsou Perrin (31 minutos), e Mbappé foi substituído pelo espanhol Pablo Sarabia. Já no segundo tempo, com superioridade numérica, o PSG foi melhor, e as boas oprotunidades de ampliar o placar surgiram, embora sem eficácia.

Aos 50, o argentino Mauro Icardi teve um gol anulado. Oito minutos depois, seu compatriota Ángel Di María acertou a trave, e aos 59 o também argentino Leandro Paredes chutou de fora da área, obrigando o goleiro adversário a fazer uma grande defesa. Sarabia ainda desperdiçou um gol feito quando estava cara a cara com o goleiro (aos 73).

Público muito pequeno

No outro gol, Keylor Navas foi bem nas poucas vezes em que o Saint-Etienne ameaçou o PSG. A partida desta sexta-feira foi a primeira oficial na França com a presença de público, o que não ocorria desde o dia 10 de março, quando a pandemia interrompeu todas as competições esportivas no país.

Devido às restrições legais em vigor, havia menos de 5.000 espectadores, número que, de qualquer forma, era muito pequeno em um estádio acostumado a receber entre 75.000 e 80.000 torcedores em jogos decisivos. A final contou com a presença do presidente da França, Emmanuel Macron, que foi ao campo antes do jogo para cumprimentar os jogadores sem contato físico.

AFP