Marcos Antônio Oliveira Batista, de 27 anos, é acusado de se apresentar como padre em várias regiões do noroeste do Paraná e também na capital baiana, onde, segundo a Arquidiocese de Salvador, o homem, que foi preso por aplicar diversos golpes, teria informado ser sacerdote.

A prisão, realizada por policiais miliares, ocorreu na última segunda-feira (1º). Batista é suspeito de estelionato e, de acordo com os sistemas internos da Polícia Militar, possui um boletim de ocorrência feito por um taxista de Londrina, que também foi vítima do falso pagamento do PIX.

Esta notícia, que foi divulgada em reportagem, revelou que o homem teve a prisão preventiva decretada pelo juiz Igor Padovani de Campos, da Vara Criminal de Paranacity.

Na decisão, o magistrado descreveu que o suspeito teria cometido o mesmo crime em diversos Estados, onde há diversos registros de boletins de ocorrência, os quais indicam aplicações de golpes, utilização de documento falso e furto. Segundo o juiz, os indícios indicam que Batista “é um criminoso em série e coleciona inúmeras vítimas.

Fonte: Bnews / Foto: Rafael Martins

Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem