Recém-nascido em UTI neonatal de SP testa positivo para coronavírus

Bebê é tratado com antibióticos e é possivelmente o primeiro caso no país de recém-nascido contaminado pela Covid-19

Um bebê diagnosticado com coronavírus no Brasil encontra-se internado em uma UTI neonatal dentro do Hospital e Maternidade Santa Joana, em São Paulo, onde nasceu há cerca de uma semana (até o momento, não há outro relato semelhante de recém-nascido no país contaminado com a Covid-19). Inicialmente, o bebê deu entrada na Unidade de Terapia Intensiva com um quadro de enterocolite, uma inflamação gastrointestinal. Sua mãe, pouco tempo depois, apresentou sintomas da Covid-19 e o exame dela acusou positivo. Na sequência, o bebê foi testado. Mas uma vez, positivo. Havia na UTI mais três bebês com quem ele dividia o mesmo ambiente, todos também fizeram testes. Apenas um deles deu positivo, porém em um quadro assintomático (esse segundo bebê recebeu alta do hospital na manhã deste sábado, 4).

O recém-nascido está há alguns dias isolado em uma UTI, sem proximidade com outras crianças. Seu quadro é estável. Ele recebe antibióticos para debelar a inflamação no intestino. Embora exista a discussão na comunidade científica de que recém-nascidos possam apresentar quadro de enterocolite com mais frequência do que uma criança sem o vírus, o bebê está sendo tratado com antibiótico porque a origem da inflamação pode não ser um sintoma da infecção por coronavírus. O bebê tem recebido alimentação parenteral.

Por estarem ambos contaminados, a mãe não está visitando o filho no hospital. “Até pelos relatos de pesquisas médicas, nada leva a crer que seja uma contaminação vertical durante a gestação. Esse recém-nascido não apresentou problemas respiratórios, muito comum em Covid-19”, explica a infectologista Rosana Richtmann.

O teste positivo do bebê fez o hospital redobrar os cuidados com proteção. Todos os profissionais, agora, usam máscaras cirúrgicas com válvula para respiração, por exemplo. Antes do caso do bebê, enfermeiros e médicos haviam reclamado que nem todo profissional estava devidamente protegido nos ambientes do local. “Desde antes da chegada da pandemia, o Santa Joana reduziu muito a entrada de pessoas e adotou medidas para proteger mães, filhos e colaboradores”, informa Marco Antonio Zaccarelli, diretor comercial do hospital. “Inclusive, tem sido um desafio comprar máscaras aqui no Brasil.”

Não são só os bebês que inspiram cuidados. Uma mãe de 44 anos deu entrada no Santa Joana com Covid-19. O quadro respiratório avançado fez com que tivesse a necessidade de antecipar o parto. A mulher estava na 32 semana de gestação e o bebê morreu dentro do útero. O óbito fetal se deu pela falta de oxigenação do sangue.

Por João Batista Jr. / Portal Veja